Manoel Ludgério apela ao governo, para criar um auxílio ração pros pequenos criadores da PB, e ao MPPB para fiscalizar os grandes condomínios residenciais

Durante sessão remota da Assembleia Legislativa da Paraíba(ALPB), o deputado estadual Manoel Ludgério(PSD), usou o seu tempo para apelar ao governo do estado que faça um auxílio para os pequenos criadores de bovinos e caprinos do estado; além de pedir que a Assembleia solicite ao Ministério Publico da Paraíba um olhar atento aos grandes condomínios residenciais, especialmente na questão dos distratos de quem adquiriu lotes.

AUXÍLIO PARA CRIADORES

Ludgério disse que o seu requerimento surgiu após uma visita sua a Asplan(Associação dos Plantadores de Cana de Açúcar da Paraíba), com o seu presidente José Inácio. “Que se colocou à disposição do governo do estado, para planejar com a secretaria de agricultura um programa de socorro emergencial aos pequenos e médios produtores e criadores, sobretudo de bovinos, especialmente de regiões como Cariri, Sertão Curimataú e da Paraíba de um modo geral, especialmente nas regiões onde tivemos um baixo índice pluviométrico”, explicou.

O deputado disse que apesar da pouca proteína no bagaço de cana, mas que é um produto volumoso, que pode ajudar na alimentação dos animais, associado a criação de um programa de ração subsidiada. “Não é possível, estive durante o final de semana conversando com vários produtores”, destacou Ludgério, citando que alguns itens para alimentação dos animais aumentaram de preços: Torta R$ 100; Milho R$ 100 a R$ 120 e Farelo de Soja R$155.

“O bagaço de cana, junto com a palma, é um volumoso que ainda dá pra escapar. A Asplan se colocou à disposição para montar essa estratégia, tentei fazer contato com o governador mas não obtive êxito. É importante lembrar que tem regiões do estado que estamos perdendo a produção de animais, nas mais diversas regiões do estado, e maioria da renda desses municípios vem da pecuária, e senão fizermos isso vamos ver o número de pessoas pedindo nas portas da prefeitura aumentar”, argumenta.

GRANDES CONDOMÍNIOS

Em seguida, o deputado pediu que a ALPB apelasse ao Ministério Público, para ter um olhar mais fiscalizador junto às empresas que administram os grandes condomínios residenciais, sobretudo na questão dos distratos. “Várias pessoas adquiriram lotes, e nessa pandemia ficaram desempregadas e não puderam continuar pagando as parcelas”, explica o deputado, frisando que alguns desses custam R$ 200 mil.

Ludgério citou o condomínio Terras Alphaville, em Campina Grande, que vem criando dificuldades para quem quer fazer o distrato. “Inclusive, contratos assinados na lei antiga, aonde não beneficiava o adquirente do lote”, citou, destacando que a maioria dessas pessoas precisam entrar em contato com a empresa através de e-mail, já que a sede do Alphaville é em São Paulo. “A satisfação deles com os clientes é péssima. Muitas pessoas querem encerrar o contrato, não tem como pagar, e o Terras Alphaville está criando todo tipo de dificuldade para não desfazer os contratos, e creio que o Ministério Público precisa intervir”, afirmou o parlamentar.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *