CGU inicia varredura de “ricos” paraibanos que fraudaram o auxílio emergencial

A Controladoria-Geral da União (CGU) iniciou um processo de cruzamento de dados para detectar pessoas “ricas” inseridas entre os beneficiários do auxílio emergencial pago pelo governo federal. Até agora, na Paraíba, já foram detectadas mais de mil pessoas que receberam o benefício de forma irregular.

Em relação à nova fase, os nomes dos beneficiários vão ser confrontados com os registros de patrimônio. Um exemplo disso é o registro de veículos. Quem tiver um carro avaliado em mais de R$ 60 mil terá que devolver o dinheiro recebido. A indicação da CGU é que as pessoas se antecipem e devolvam o dinheiro.

Vários casos de filhos e mulheres de políticos paraibanos, por exemplo, já foram detectados. A lista inclui filho de deputado federal, membros de órgãos de controle, prefeitos, vereadores. Todos estão sendo orientados a devolver o dinheiro, sob o risco de serem alvos de processo. Em todo o país, R$ 31 milhões já foram devolvidos.

Servidores

A CGU iniciou, também, a notificação de servidores estaduais e municipais que foram contemplados com o auxílio emergencial de R$ 600. Ao todo, foi verificado 25.645 benefícios pagos indevidamente a servidores públicos paraibanos. Isso representou um prejuízo de R$ 18.099.600,00 para os cofres públicos.

Ressalta-se que pela característica da forma de operacionalização do benefício, é possível que os servidores não tenham feito solicitação para seu recebimento. Isso é possível no caso de quem estiver no Cadastro Único para programas sociais ou por serem beneficiários do Programa Bolsa Família. Mesmo nestes casos, eles terão que fazer a devolução.

Jornal da Paraíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *