Juiz anula criação de Comissão Processante que pede afastamento do prefeito de Mogeiro; veja decisão

O juiz da Comarca de Itabaiana, Michel Rodrigues de Amorim, decidiu anular a Comissão Processante na Câmara de Vereadores de Mogeiro. O magistrado entendeu que houve desrespeito as normas que regem o processe da criação da comissão.

“O procedimento adotado pela Câmara, além contrariar expressa disposição legal, favorece a bancada de oposição”, argumentou o magistrado.

O despacho do juiz determina que a Câmara de Vereadores cumpra a decisão e cancele a Comissão Processante em até cinco dias e faça um novo processo dentro dos critérios legais.

Entenda o caso:

Durante a sessão ordinária do dia 22 de novembro de 2019, com sete votos favoráveis, a Câmara de Municipal de Mogeiro aceitou uma denúncia formulada pela ex-vereadora, Maria da Penha, que enumera vários atos praticados pelo gestor municipal como: déficit de execução orçamentária, déficit financeiro ao final do exercício, despesa de pessoal não empenhada, não recolhimento e não empenhamento da contribuição previdenciária e outros.

Tribunal de Contas aprova as contas de Alberto Ferreira

Na última quarta-feira (11) o Tribunal de Contas do Estado aprovou por unanimidade as contas do prefeito de Mogeiro, Alberto Ferreira e não encontrou nem uma um ato que reprovasse as contas do gestor e nem tão pouco lhe obrigasse a deixar o cargo de prefeito outorgado pela população de Mogeiro.

Blog do Bruno Lira

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *